Como está o relacionamento com a sua SOGRA?

Mães superprotetoras costumam não estar 100 % satisfeitas com as noras, pois acreditam que só elas são capazes de suprir as necessidades do filho. Frases como “Ah, mas ele está tão magrinho” acabam fazendo parte do repertório que indica até um certo ciúme por não poder mais ser a responsável pela alimentação do filho. Casos como este estão presentes no dia-a-dia de noras principalmente porque elas assumem as responsabilidades que antes eram exclusivos da sogra. Ou seja, ela perde o posto preferencial e sente-se infeliz por estar em segundo plano.

As queixas mais comuns de noras são as intromissões na vida do casal, as fofocas e as frases de duplo-sentido. Ligações fora de hora, visitas sem ser convidada, intromissão na educação dos netos são atitudes muito comentadas e que merecem ser pontuadas quando incomodam. E neste momento, seu parceiro pode ser um grande aliado. Deixe para ele a responsabilidade em colocar o desagrado pela visita inesperada ou pela ligação no domingo de manhã.

O comportamento diplomático pode ser a melhor saída no relacionamento com sogras. Demonstrar que entende a preocupação que ela tem com o filho, reconhecer que as boas intenções em chamar a atenção de um neto são atitudes que podem harmonizar a relação. Nem toda sogra tem a questão do casamento ou namoro do filho bem resolvida e é preciso que se busque tal compreensão.

Colocar-se no lugar do outro também é um exercício que ajuda no entendimento da tríade sogra – filho - nora. Deve ser muito difícil para uma mãe reconhecer que o filho cresceu , e também se conscientizar de que ela já não é mais requisitada e necessária no cotidiano dele. E se você for uma boa esposa, querida, simpática, bonita, boa cozinheira, boa mãe, então...
Voltar